sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Já que é prá realizar...

Eu já tinha ouvido falar de Machu Picchu, mas não tinha ainda me despertado nada especial, até que pelos idos de 2000, por conta da criação do "Clube BigTrails do Brasil", acabei conhecendo o Chardô (chegou a participar lá com a gente) e adquirindo um livro seu, sobre sua viagem a Machu Picchu. Lendo o mesmo, passei desde então a sonhar com a MINHA vez.

Sempre tive em mente que o período ideal para esta viagem seria entre outubro de dezembro. E foram 10 anos sonhando... Por duas vezes seguidas (em 2002 e 2003) fui impedido por razões profissionais. De 2004 a 2008 a razão foi meu filho mais novo, nascido em 2004. De 2008 a 2010 foram questões profissionais (Petrobrás e minha própria empresa).

Mas 2011 chegou, as coisas foram se arrumando, e arregacei as mangas mais uma vez, caí no planejamento e agora estou a quase 30 dias da partida. A "Velha Montanha" ainda está lá, a minha espera, e desta vez eu vou. Está quase tudo pronto e até a bagagem já está parcialmente arrumada.

Já contei os anos, mas hoje conto os dias. Como diz Amyr Klink: "Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir". E é isto que vou fazer, em 29 de outubro.

E como se não bastasse isso, já que é prá realizar o sonho, resolvi "escancarar". Já que meus amigos "motociclistas de garagem" (sim, os petroleiros em especial, que só andam de moto no navio e na garagem de suas casas... hahahaha) não desencantam, arrumei dois parceiros. Meus dois filhos... e prá isso eu presenteei um deles hoje com uma motoca zeradinha, justamente prá curtirem juntos nossa aventura. Então vamos nós quatro e as duas motos.




Prá esquentar mais o clima, hoje tem uma reportagem no Globo Reporter sobre o deserto do Atacama. Vamos assistir todos juntos.

Quanto à motoca, é uma Yamaha XTZ250 Tenere. Isso mesmo... uma 250!!! Já cansei de falar: a cilindrada não importa. O que move as pessoas prá essa aventura é o desejo e não as cilindradas ou cavalos de suas máquinas.

Agora o "bicho pegou" porque o custo aumentou, e os preparativos também. Vamos ver como desenrolamos isso... o importante é que valerá a pena... se ir a Machu Picchu de moto é a realização de um sonho, ir acompanhado de minha esposa e meus filhos, e DE MOTO, é muito mais emocionante.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Participantes - Machu Picchu 2011

_______________________________________________________________________________________________
Elton Guedes Rios
Nascido em Itaperuna-RJ, Técnico em Edificações, funcionário da Petrobrás desde 1984, na área de Operações de Produção, empresário (proprietário da empresa Prisma Sistemas de Segurança).
Pilota motos desde 1985, já tendo percorrido com elas mais de 60.000km. Sempre preferiu motos mais no estilo trail tendo inclusive vivenciado a experiência do “fora de estrada” em trilhas, o que muito contribuiu para aprimoramento da pilotagem. Dizem que as motos estilo bigtrail não são ótimas em nada, mas são boas em tudo.
Motos anteriores: Honda CG125, Honda XL250R, Honda CB150 Aero, Honda CB450DX, Honda NX350 Sahara, Yamaha XTZ750 SuperTenere, Honda XR250 Tornado (uso convencional e trilhas). Yamaha DT200 e Honda XR200 (uso em trilhas)
Moto atual: Yamaha XT660R
_______________________________________________________________________________________________

Lourdes Maria de Oliveira Rios

Nascida em Recife-PE, esposa, Técnica de Enfermagem e Fonoaudióloga.
Pilota motos desde 2000, tendo ainda experiência em “fora de estrada”, pilotando em trilhas. Vai como garupa da XT660R e deve revezar na pilotagem da Fazer 250, se necessário. Já possui alguma experiência de pilotagem em viagens.
Motos anteriores: Honda Bizz, Fazer 250 Rosa (uso convencional). DT180 e XR200 (trilhas).
Moto atual: Fazer 250 Roxa
_______________________________________________________________________________________________
Wellington de Oliveira Santos Rios
Nascido em Recife-PE, filho, cursando Engenharia de Produção.
Pilota motos desde 2005. Em 2010 foi garupa em boa parte da viagem de volta de Recife-PE. Agora fará sua primeira viagem como piloto, com a Fazer 250.
Motos anteriores: Kasinski 50, Suzuki Burgman 125 e Sundown Web 125.
Moto atual: Nenhuma
_______________________________________________________________________________________________
Anna Paula Silva Rios
Nascida em Itaperuna-RJ, filha, cursando Design, funcionária da empresa ArtCoim Publicidade.
Amante da fotografia foi designada para realizar a cobertura da expedição.
Pilota motos desde 2001 porém não está legalmente habilitada a pilotar nesta aventura. Já foi garupa na ida a Recife-PE em 2010, na XT660R e agora será garupa da Fazer 250.
Motos anteriores: Yamaha Jog 50, Suzuki Burgman 125.
Moto atual: Fazer 250 Rosa (acabou de herdar).
_______________________________________________________________________________________________

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Mudança de planos

A vida é assim mesmo, não é sempre que as coisas saem como a gente planeja, e temos que estar prontos prá isso. Prontos principalmente prá ACEITAR esta situação.
Mas, o negócio é "levantar e sacudir a poeira". Contornadas as dificuldades vmos adiante.
Ficou difícil acertar minha escala daqui prá frente (até o fim do ano) prá poder viabilizar a viagem. Mas já dei um jeito e está tudo certo. A nova data de saída é 29 de outubro.
Esta semana comecei de fato a preparar a moto e outros itens.
Recebi o minigravador, para tentar relatar a viagem (falo demais sob o capacete, e quem sabe consigo captar algo que seja útil mais tarde).
Recebi também o navegador Garmin nuvi 1350, que junto com o Garmin V fará o auxílio a navegação. Já atualizei mapas, já baixei mapas de argentina, Chile e Peru.
A moto foi para a oficina da Yamaha e deve sair na próxima semana. Colocados os pneus Michelin Anakee2, trocadas as pastilhas de freio (dianteira e traseira), retentores das bengalas da suspensão dianteria, filtro de óleo, líquido arrefecimento, fluidos de freio, lubrificação geral, checagem na injeção. A notícia ruim é que vou ter mesmo que trocar o disco traseiro. Dei mole e ele está horrível.
O banco Erê chegou hoje e devo montá-lo na segunda.
Estou tentando contato com o companheiro Romolo, prá ver como fica sua escala e se será possível seguirmos juntos já que não me resta outra data.
Conversei com outro companheiro de trabalho, o Claudionor (veterano do Atacama), que está bastante interessado em ir também. Ele vai tentar ajustar sua escala.
Quanto aos demais, permanece o convite: Claudino, Djalma, Vieira, José Carlos, Hugo... ainda há tempo!! Quem sabe algum deles se anima?