domingo, 20 de novembro de 2011

23º Dia - Puerto Maldonado - PER


Cusco-PER x Puerto Maldonado-PER
Distância percorrida:
 505 km

Metade da jornada cumprida, é hora de começar a "navegar" de volta pra casa. Antes de partir, fui tentar fazer uma troca de óleo na Fazer. Saímos, eu e a Lu, em busca do Yamalube, mas não tivemos sucesso. Acabamos optando por um óleo com as mesmas especificações, porém da Castrol. No retorno ao hotel passamos por uma pequena oficina e resolvemos parar. Fomos gentilmente atendidos por um simpático casal e o rapaz prontamente efetuou a troca.

Voltando para o hotel descemos com a bagagem e arrumamos as motos. Saímos de Cusco por volta das 09:40 horas, passamos por Urcos e pegamos a Interoceânica às 10:30h, rumo à Puerto Maldonado.



Inicialmente uma longa e sinuosa subida, o céu estava nublado e percebemos a possibilidade de chuva, mas não paramos, até que ela chegou. Um sereno gelado e teimoso nos fez parar. Paramos exatamente AQUI (clique e veja no mapa), para vestir os agasalhos de chuva, ao mesmo tempo que outro motociclista local também parara para se preparar.




Daí pra frente aquilo de sempre: muitas curvas, só que agora descendo. Alguns trechos a chuvinha dava trégua, mas ela nos acompanhou por muito tempo. Aos poucos fomos ficando gelados e sequer tínhamos coragem de parar para fotografar. Descíamos as Cordilheiras dos Andes bem devagar devido ao zigue zague intenso, e assim íamos mergulhando na floresta Amazônica, ainda em território peruano.

Num momento, não resistindo mais àquela beleza, resolvi parar para fotografar, mas isso gerou um forte estresse no grupo. Eu ainda estava "indo", mas eles já estavam "voltando". E, na volta, a ansiedade começa a crescer, a vontade de chegar logo em casa, etc. Eu ainda tinha muito a curtir, mas eles já queriam se teleportar, se assim pudessem, direto pra casa.



O cenário é maravilhoso, e aos poucos vamos entrando na floresta amazônica. Passamos por vários povoados e num deles fui procurar combustível. O cara veio com um funil enorme e um balde cheio de gasolina. Sem o menor jeito ou cuidado ele despejou o combustível e por pouco não nos dá um banho.

Tomei um susto enorme quando deparei-me com um cavalo na pista, ao sair de uma curva. Pisei com força no pedal do freio traseiro e apertei com vontade a manete do dianteiro. Foi por pouco, mas na primeira curva seguinte veio uma preocupação a mais: eu havia perdido o freio traseiro.

Todo esse trecho de descida foi percorrido numa velocidade bem baixa, em torno de 15 km/h ou menos, pois eram muitos trechos curtos e curvas acentuadas, e isso ainda com a chuva. Por conta disso, quando chegamos em Puerto Maldonado já havia chegado a noite.

Fomos em busca de um hotel, e chegamos a olhar alguns, até que resolvemos ficar no Hostal Madero Inn, que naquele momento tinha um atrativo a mais: aceitava cartão. Era simples, mas tinha um bom chuveiro quente.

Banho tomado, é hora de comer alguma coisa. Saímos e logo chegamos à Plaza de Armas, bastante movimentada, onde localizamos a "La Casa de La Cerveza", que nos pareceu bem aconchegante. Fomos para a parte superior e, bem posicionados, pudemos degustar uma deliciosa pizza.

<< ANTERIOR         |     INÍCIO    |         PRÓXIMA >>

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e comentários.