quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Estávamos ali, no meio do nada, num cenário inóspito e inicialmente “sem graça”. Que beleza havia naquelas retas infindáveis e montanhas alaranjadas? Que beleza havia naquele cenário tão “pobre”? Mas a beleza estava muito além do que os olhos poderiam ver. Não tem como mensurar... não tem como descrever. É preciso estar lá pra entender como um lugar tão “feio” pode significar tanto, a ponto de se tornar tão bonito. Sim, olhar para aquele cenário e se sentir deslumbrado era o que mais nos surpreendia. Não fosse o fato de estarmos ali, jamais teríamos entendido.
É passando neste “fim de mundo”, tão longe de casa, tão desprovido daquele “conforto” disponível e desejado todos os dias, tido até como indispensável, é que a gente percebe o quanto é preciso tão pouca coisa pra se viver bem."  
Elton Guedes  (atravessando o Deserto do Atacama)





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e comentários.