quarta-feira, 30 de julho de 2014

Vendo: Yamaha XT660R 2009/2009


Minha querida XTzona (esta da foto) está à venda, só que não vão juntos os baús laterais, nem a mala do tanque. Ela vai com protetor de motor com pedaleiras, wingrack da GIVI para instalação de baús laterais, bagageiro com base para baú traseiro, baú traseiro GIVI, protetor de mãos, bolha fumê alta, banco sela Erê.

Quem tiver interesse é só me procurar.





domingo, 27 de julho de 2014

A história da motocicleta



A PRIMEIRA MOTO 

Veículo de transporte no qual os princípios da bicicleta e do motor de combustão interna se acham combinados. O primeiro triciclo a motor foi construído pelo inglês Edward Butler, em 1884, e a primeira motocicleta que apareceu em público foi montada pelo alemão Gottlieb Daimler, em 1885. 

O doutor Otto (inventor do motor de combustão interna) tinha um assistente chamado Gottlieb Daimler, que o deixou em 1883 para desenvolver o seu próprio motor de combustão interna. 

Daimler adaptou o seu motor a uma estrutura de madeira em 1885. Na realidade, tinha quatro rodas, mas a história ignora os dois pequenos estabilizadores e considera que esta é a primeira moto. 

O motor era posicionado verticalmente no centro da máquina; a transmissão à roda de trás fazia-se através de uma correia para um contraveio, depois através de um carreto.Um punho rotativo controlava o travão de trás. A válvula de escape era operada mecanicamente, mas a válvula de admissão abria-se pela sucção do pistão. 

O motor Daimler, arrefecido a ar, tinha um carburador de superfície e uma ignição de tubo incandescente; este motor atingia as 700 rpm. A 10 de Novembro de 1885, o filho de Daimler, Paul, percorreu 9,5 km, de Cannstat até Unterturkhein e volta, tornando-se assim o primeiro motociclista do mundo. 

A alimentação melhorou substancialmente quando o assistente de Daimler, Maybach, inventou o carburador de pulverizador. Na Inglaterra, em 1887, Edward Butler construiu um triciclo com ignição elétrica e com um carburador com depósito de alimentação. 

A motocicleta não teve grande difusão até 1896, quando os veículos que trafegavam nas estradas foram dispensados de levar um homem com uma bandeira vermelha à frente e puderam desenvolver uma velocidade de até 22,5km/h, em vez de 6,5km/h. 

Em 1903 existiam mais de 50 tipos de motocicletas e triciclos a motor percorrendo as estradas inglesas (o maior e mais completo museu da motocicleta no mundo é o Beaulieu Abbey, em Hampshire, Reino Unido). 

As primeiras motocicletas não eram mais do que bicicletas dotadas de motor. Este não tinha colocação uniforme, e geralmente movia a roda traseira por meio de uma corrente. 

Cedo, porém, tornou-se claro que o melhor era situar o motor abaixo e perto do eixo da armação, porque um centro de gravidade baixo significava um controle mais seguro e aumentava a estabilidade na direção. 

A motocicleta teve amplo uso militar nas duas guerras mundiais. Depois de 1945, verificou-se o crescimento da indústria britânica de motocicletas; posteriormente, a indústria japonesa tornou-se a maior do mundo, enquanto a Itália, Alemanha, França e Bélgica firmavam-se como grandes exportadores.

(Texto extraído de http://www.mototour.com.br)

sábado, 26 de julho de 2014

Bye bye motocas

Pois é, estas três motokas estão paradas na Yamaha, há mais de dez meses.
Uma  Yamaha XT-660R (2009), uma Yamaha Tenere 250 (2011) e uma Suzuki Burgman 125 (2006). Todas pretas.
Hora de passá-las adiante, com um "aperto no coração", mas é a vida...

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ushuaia 2014/15


Ontem conheci um motociclista do Oiapoque, cheio de disposição,  que estava com planos de ir à Natal-RN em dezembro,  com a esposa. Lendo meu blog, se encantaram com a proposta de aventura ao Ushuaia, e mudaram seus planos.

Estamos conversando, estudando roteiro e data. A idéia inicial é pra dezembro.

Vamos que vamos...

domingo, 13 de julho de 2014

Piúma-ES x Tecnotruta (Ibitirama-ES)


Data: 13/07/2014
Veículo: Suzuki Jimny 4x4
Distância Percorrida: 172 km
- Tempo Gasto: 6 horas e 10 minutos
Participantes: Elton, Lourdes e Rillion

Pra ver a trilha no Wikiloc clique AQUI.

Saímos de Piúma no domingo às 07:40h para cumprir rota levantada através do Google Maps e transportada para o Wikiloc. Eu não sabia ao certo o que era asfalto e o que era terra, sendo que imaginava que predominantemente teríamos asfalto, o que não aconteceu... felizmente.

De Piúma até Iconha foram 10,3 km de terra, e dali pra frente foi asfalto, numa subida constante. Subimos cerca de 650 metros em 23 km, através de uma estradinha bem sinuosa, mas muito gostosa. Lá de cima dá até pra ver o mar. Foram 48,3 km de asfalto, depois de Iconha, passando por Vargem Alta, até São José de Fruteiras, quando deixamos a ES-164 e pegamos terra novamente, na ES-475.

Mais uma vez subindo, cerca de mais 100 metros, quando iniciamos um descidão. Descemos mais de 750 metros nos próximos 10 km, chegando ao fundo de um vale, por onde andamos por 20 km, até iniciarmos nova subida. Mas nesse vale passamos pela cidade de Castelo, deixando a ES-475 e pegandreiniciamos a subida, e chegamos numa cachoeira, à beira da estrada, no Km 110, pouco depois da localidade de Vieira Machado.

Subimos um pouco mais e transpomos mais uma montanha, descendo em Muniz Freire. Saímos desta cidade pela ES-379, asfaltada, mas cinco quilômetros adiante saímos na ES-489, também asfaltada. Mais cinco quilômetros e saímos da mesma, pegando uma subida de terra (e muito barro vermelho). Foi o trecho mais divertido do percurso, com subidas, descidas, curvas e retas, muitas pontes de madeira... e tudo cheio de barro.

Alternado pequenos trechos de asfalto, com longas estradinhas "de chão", chegamos à ES-190, que dá acesso ao recanto Tecnotruta, porém, alguns quilômetros antes do asfalto, uma surpresa: uma ponte interditada. Algum "espírito de porco" colocou foga na ponte (de madeira) e a mesma estava bem comprometida. Peguei uma corda, icei algumas pranchas que cairam no córrego, improvisei e... lá vamos nós. A Lu ficou com a máquina para registrar, mas estava tão nervosa que se esqueceu de fotografar.

Chegamos no Tecnotruta, bem ali nos pés do Pico da Bandeira, por volta das 13:30h, para descanso e almoço.Lugar legal, limpo, arrumado e aconchegante, mas só encontramos dois pontos negativos: o primeiro é que, estava frio demais, e não estávamos preparados pra tal, de forma que ficamos ali meio desconfortáveis. Segundo é que achamos muito "salgado" o preço dos pratos. Bem feitos e atraentes aos olhos, salgado também estava a batata que compensou a falta do mesmo no filé de truta, mas tudo com um sabor muito bom. Aqui na nossa terrinha a gente come bem, em quantidade e qualidade. Mas nessa hora conta também a diversão, o passeio, o lugar diferente, e muitas coisas mais.

Após alimentados, tiramos fotos e caímos na estrada de novo. Chegamos em Bom Jesus do Itabapoana quando começava o segundo tempo da prorrogação do jogo Alemanha x Argentina, e ainda vi o gol decisivo tomando um milk-shake.

Conhecemos assim, mais um pedaço destas terras capixabas. Até a próxima.

Foi um passeio bem legal e tranquilo (assista VÍDEO)












quinta-feira, 10 de julho de 2014

Bom Jesus do Itabapoana-RJ x Guaçuí-ES


- Data: 10/07/2014
- Veículo: Suzuki Jimny 4x4
- Distância Percorrida: 82 km
- Tempo Gasto: 4 horas e 28 minutos
Participantes: Elton, Lourdes e Rillion

Pra ver a trilha no Wikiloc clique AQUI.

Trajeto foi baseado na "track" realizada de moto, pelo companheiro Felipe Murúci, e postada no Wikiloc. Apenas editei e limpei alguns pontos de ida e vinda pelo mesmo lugar.

Noventa por cento foi em estradinha de terra, mas quase sempre em estado bom ou razoável. Alguns trechos ela estava ruim e um outro no qual ela simplesmente desaparecia, restando apenas a trilha de gado e valas.

Foi um passeio bem legal e tranquilo (assista VÍDEO)



sábado, 5 de julho de 2014

Intercomunicador Sena SMH10


Galera, conheci este intercomunicador através desse vídeo, de um camarada que se inscreveu no meu canal no Youtube. Confesso que nunca ouvi falar e não tenho - ainda - qualquer referência, mas achei bastante interessante e parece ser bom.



Uma coisa importante de se lembrar é que estes aparelhos, normalmente não possibilitam comunicação com outros de outro fabricante, portanto isso deve ser levado em conta. Se você pretende usar o intercomunicador só pra falar com a patroa, garupa ou com apenas uma outra moto, beleza. Mas, se a intenção é se comunicar em grupo, então é bom saber que o Scala Rider ainda é mais conhecido (e totalmente aprovado) por aqui, enquanto esse Sena SMH10 é meio que uma novidade.

Mas está aí a dica.

Site do fabricante: http://www.sena.com/product/product/smh10/

Anúncios no Amazon:
Modelo SMH10R
Modelo SMH10D

Anúncios no Mercado Livre:
Modelo SMH5