quinta-feira, 9 de julho de 2015

O que nos espera em Bonito



Ao chegar em Bonito, você tende a ficar meio decepcionado e assustado com o que vai ver. Parece uma daquelas cidadezinhas do interior do país que não tem nada. Uma única rua central principal, empoeirada e cheia de lojinhas e pousadas bem pitorescas. Se você pretende ir a Bonito só pra conhecer a cidade, é isso que você vai ver. Bem próximo ao centro da cidade está o balneário municipal, os demais passeios são afastados.

Em qualquer época do ano pode-se visitar Bonito, mas o ideal é entre os meses de dezembro e março, no período das chuvas, quando a vegetação está verde, os animais aparecem, pois têm alimento de sobra; o nível dos rios está alto, e as cachoeiras estão caudalosas. Entre maio e agosto, os campos estão secos, as queimadas são constantes e a fauna foge atemorizada para pastagens melhores. 

Outro fator considerável são os preços. É definida as datas de Alta e Baixa Temporada, sendo os períodos de Alta Temporada os feriados e férias e de Baixa Temporada as demais datas. Os hotéis e pousadas, assim como as agências cobram preço diferenciado para as temporadas, portanto, se for possível evitar os feriados, já dá para economizar um pouco.

Na baixa temporada, não é preciso agendar os passeios com muita antecedência, podendo ser programados na sua chegada. Mas, na alta temporada (feriados nacionais, férias - de 15 de dezembro a 28 de fevereiro - julho) é necessário reservar os passeios com certa antecedência para não correr o risco de ficar sem fazer algum. 

Todos os passeios são pagos. Estes valores variam de R$ 25,00 a R$ 204,00. Para a prática de rapel e mergulho autônomo, os preços são maiores. Nestes valores não estão incluídos o transporte até o passeio. 

Qualquer reserva para os passeios deverá ser efetuada numa agência de turismo local. A agência se responsabilizará pelas reservas, contratação do guia de turismo que irá acompalhá-lo e emitirá uma autorização para realização do seu passeio. 

Conforme lei municipal, para visitação dos atrativos turísticos de Bonito é obrigatório o acompanhamento do Guia de turismo local credenciado pela EMBRATUR e cadastrado na prefeitura. 
O calçado ideal para a realização da maioria dos passeios é o tênis. 

Além de muita disposição, são indispensáveis roupa de banho, boné ou chapéu de palha, mochila, tênis, camisetas, shorts, moletom, capa de chuva, protetor solar, repelente, máquina fotográfica, câmera filmadora e agasalho no inverno. 

Mas tem passeio pra todo mundo. Muitos passeios são redundantes. Dá para dividir o cardápio em quatro ou cinco gêneros.

Para ter uma experiência completa do destino, escolha um de cada gênero, faça uma segunda flutuação (afinal, o diferencial de Bonito são os rios cristalinos) e, se ainda sobrar tempo, relaxe nos balneários (ou faça mais passeios no seu gênero preferido).

1) Grutas 

Gruta do Lago Azul



Aqui não há muita escolha a fazer. A imperdível Gruta do Lago Azul (R$ 36) normalmente é visitada em conjunto com as Grutas de São Miguel (R$ 36) -- que não têm água azulzinha, mas possuem estalagmites e estalactites impressionantes. É um passeio de meio dia, feito de manhã, quando é melhor a incidência de sol na Gruta do Lago Azul. Com chuva, a visitação é interrompida.

2) Flutuações

Rio da Prata



Este é o gênero de passeio que pôs Bonito no mapa. Você veste uma roupa de neoprene, encaixa o snorkel e fica boiando na superfície de rios de águas transparentes, observando piraputangas, pacus e dourados.

A nascente repleta de vegetação do Aquário Natural (R$ 132 a R$ 165) é a melhor introdução ao esporte oficial de Bonito (e inclui uma tirolesa de saideira).

Programe um repique no concorridíssimo Rio da Prata (R$ 150 a R$ 180), a 50 km, em Jardim.

Se não houver mais vaga, faça o Rio Sucuri (R$ 113 a R$ 148), a Barra do Rio Sucuri (R$ 79 a R$ 85), a Nascente Azul (R$ 120 a R$ 139) ou o Rio Formoso (R$ 90).

Tanto o Rio Sucuri quanto a Barra do Rio Sucuri aceitam crianças, porque dispõem de botes que acompanham todo o percurso (e onde a criança pode ir, acompanhada do pai ou da mãe, que podem ficar se revezando na água).


O passeio ao Rio da Prata é combinável com a visita ao Buraco das Araras, que fica pertinho. O melhor horário para ver as araras é o entardecer (mas eu não recomendo voltar dirigindo no escuro).

3) Cachoeiras

Buraco do Macaco/Estância Mimosa


O circuito Boca da Onça leva à cachoeira mais alta do Estado (a Boca da Onça) -- e também à mais gostosa de Bonito, o Buraco do Macaco (R$ 146 a R$ 165 adulto, com almoço; R$70 a R$ 80 criança).

A Estância Mimosa (R$ 102 a R$ 116 adulto com almoço, R$ 88 a R$ 100 criança) e o Parque das Cachoeiras (R$ 105 a R$ 115 adulto com almoço, R$ 78 a R$ 88 criança) compartilham cachoeiras entre si.

A Cachoeira do Rio do Peixe (R$ 125 a R$ 138 ) é a mais próxima do centro. As da fazenda Ceita-Corê (R$ 111 a R$ 121 adulto com almoço, R$ 78 a R$ 86 criança) incluem cavalgada.

4 | Mergulho de cilindro

O Abismo Anhumas combina mergulho com rapel numa caverna inundada (R$ 650) e é tido como a atração ultra-mega-blaster do local. É preciso ter certificado de mergulho (dá também para fazer a flutuação com snorkel (R$ 465), mas... né?

O outro grande point de mergulho é a Lagoa Misteriosa, em Jardim, que também tem grande profundidade e só fica aberta nos meses do meio do ano (R$ 260).


Também dá para mergulhar em vários pontos do rio Formoso, como o Hotel Cabanas.

5)| Bóia-cross, arvorismo, bote, balnéarios 

Bóia Cross do Hotel Cabanas



Dá para brincar de Brotas em Bonito, com o bóia-Cross (R$ 58 ) ou o arvorismo (R$ 85) do Hotel Cabanas, e o passeio de bote do Rio Formoso (R$ 77).

Para levar as crianças para ver peixinhos sem precisar fazer flutuação, o programa são as prainhas dos balneários Municipal (R$ 15), da Figueira (R$ 35) e do Sol (R$ 30).




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e comentários.