sexta-feira, 9 de outubro de 2015

13º Dia - Expedição Bonito 2015 - Lages-SC x Itapema-SC


- Distância Percorrida: 429 km
- Hospedagem: Motel Eden

Olhei pela janela logo cedo, pouco antes das seis da manhã, na direção de São Joaquim-SC, e o céu começava a clarear. Isso me animou novamente a encarar a Serra do Rio do Rastro. Pedimos o café da manhã e nos preparamos pra sair. Vestimos a roupa de chuva e partimos, mas ainda sem muita convicção da direção a seguir. Mas realmente o céu ia ficando cada vez mais limpo na direção da serra e foi inevitável: é pra lá que vamos.

À medida que nos aproximávamos de São Joaquim, mais o céu ficava limpo, mas sempre lá pra frente. Percorremos os 80 km que as duas cidades e quando paramos num posto de combustível, logo na entrada da cidade, começou a chover, e o tempo fechou. Seguimos adiante, na esperança de que fosse apenas uma nuvem localizada, mas quanto mais a gente andava, mais fechado ficava.

Chovia em alguns trechos mais do que outros, mas apenas aquela chuva teimosa. Chegando em Bom Jardim da Serra a coisa tomou outro proporção, pois a partir dali, além da chuva, uma neblina tão intensa que nos forçava a manter uma velocidade em torno de 20 km/h. O frio aumentava, e eu só pensava em como seria descer a Serra do Rio do astro naquelas condições.

Chegamos no mirante e não dava pra ver absolutamente nada lá para baixo, nem morros ou montanhas, muito menos estrada. Perguntei no único quiosque aberto e o rapaz disse que já estava assim desde o dia anterior, e que não era previsto melhora. Pronto... frustração. A Lu, aborrecida com o frio intenso, e eu, por ter chegado tão perto, e ter que desistir.

Na garagem do motel
Vamos voltar... subimos na moto e começamos o caminho de volta, sem saber ainda como seria, se retornaríamos à Lages, se desceríamos por Ubirici-SC, ou alguma outra opção. Uns dois quilômetros adiante olho pelo retrovisor, meio que me despedindo, e eis que percebo o céu limpando. Parei, conferi a visão e pedi confirmação à Lu. Fizemos meia volta, decididos agora a descer a serra.

Chegamos novamente no mirante e já era possível avistar a estrada. Ainda serenava, mas a euforia tomou conta. Respirei fundo e liguei a moto... começou a chover novamente, o cenário foi mudando de novo...foi como se fechassem as cortinas. Mas agora não teria volta... fomos adiante.

Descemos com muita cautela, e mesmo com a chuva, curtimos muito. Se naquelas condições foi tão bom, fiquei imaginando num dia de sol. Aquela situação me lembrou muito a descida da Cordilheira dos Andes, quando saímos de Cuzco para Porto Maldonado (por nós gentilmente apelidado de Porto Mal Danado), chuva, altitude, descida, zigue zagues, matas, cachoeiras...

Descemos até Tubarão-SC, onde tomamos a BR-101 em direção à Florianópolis-SC. Alguns quilômetros antes de Floripa pegamos um baita engarrafamento. Era uma sexta feira, início de um feriadão (segunda era feriado), e já imaginávamos que isso pudesse ocorrer. Infelizmente ficamos retidos ali muito tempo, e como a chuva não cessava, como estava difícil reservar hotéis pra sair no domingo (já havia feito consulta um dia antes), e como a previsão para o dia seguinte era de mais chuva, preferimos deixar Floripa pra outra ocasião, e seguir um pouco mais, tentando se desvencilhar daquele trânsito.

Alcançamos a cidade de Itapema-SC e fomos à um motel que avistamos ainda da pista principal. Agora um bom banho quente, uma pizza e o merecido repouso.






Dicas do dia:

BOA DO DIA:
A gente ter conseguido descer a Serra do Rio do Rastro..
FURADA DO DIA: 
Não termos entrado em Floripa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e comentários.